14 de agosto de 2011

Feliz Dia dos Pais!




Um passarinho me acordou cedinho
cantando lindo que nem rouxinol
e o céu sorrindo azul
azul limpinho
abriu caminho pra passar o sol
Um dia lindo com todas as cores
o arco-íris garantiu que sai
e o bem-te-vi disse que viu as flores
vindo enfeitar o dia do papai
Amigo velho
Eu queria falar
Meu velho amigo
Foi tão bom te encontrar
Amigo velho
Eu te amo demais
Meu velho amigo
Todo dia é dos pais
Eu convidei o gato
E o cachorro
Nem um amigo
Vai poder faltar
Super-herói, também
Tarzan e o Zorro
E o pererê não vai poder mancar
Vai ter pelada
E muita brincadeira
Toda alegria vem nos visitar
Queria tanto
Que esta festa inteira
Fosse um presente
Pra poder te dar.
Amigo velho
Eu queria falar
Meu velho amigo
Foi tão bom te encontrar
Amigo velho
Eu te amo demais
Meu velho amigo
Todo dia é dos pais


5 de agosto de 2011

O que é homofobia, afinal?

Eu não queria mais falar sobre esse assunto porque, para mim, já deu. Cansou. Está chato que só. Mas estão metendo o pau na Globo (que apesar de muitas decepções, ainda é a melhor emissora que a gente tem) , acusando-a de ser homofóbica justamente quando ela resolve pôr no ar uma novela repleta de homossexuais. Sinceramente, não entendi. 

A novela mantém um núcleo de 5 personagens gays fixos. Nenhum deles é mau-caráter, nenhum deles trai o companheiro, nenhum deles é violento. Todos são personagens boa praça, como dizem por aí: "do bem". A novela faz propagandas sociais excessivas em prol dos gays. Os personagens héteros vivem ensinando uns aos outros a melhor maneira de tratar um homossexual. Os que fazem menção de qualquer opinião contrária ao novo senso comum, são esculhambados e tratados como criminosos homofóbicos que deveriam ser presos. Frequentemente alerta para os espancamentos de homossexuais pelos "pitboys". Essa semana, passou uma cena terrível, completamente desnecessária, de espancamento. Me senti muito mal vendo aquilo. Que fique claro: não porque o garoto espancado era um homossexual, mas porque era um ser humano indefeso sendo massacrado por covardes em bando. E para que isso tudo? Para fazer com que as pessoas tenham mais ódio dos "homofóbicos" e mais pena dos gays. Ou será que algum ser humano normal não sentiu ódio daquele espancador e pena do espancado no momento da cena? Pois estão reclamando da cena, dizendo que estimula a violência. Só se for a alguém mau, cruel de natureza. A cena me pareceu explicitamente maniqueísta, não restou dúvidas de quem era bom e quem era mau. Na verdade, era uma luta do bem contra o mal e este venceu. Estímulo é quando um personagem que a princípio tinha bom caráter (como os mocinhos da história, por exemplo), de repente, faz algo ruim. Ou quando existe aquele mau-caráter engraçadinho que acaba cativando o público, como a tal da Natalie Lamour (disso, aliás, ninguém fala). O que o povo quer mais? Respondo: o povo quer um beijo gay. Isso tudo aí não é suficiente. É preciso um beijo gay. Veja bem o que está acontecendo. A Globo está sendo acusada de homofobia, não por proferir alguma palavra de ofensa aos gays, mas por não colocar na novela um beijo gay. Isso é grave. Isso significa que o conceito de homofobia mudou. Não basta não ser homofóbico, tem que ser militante da causa. Aliás, todo aquele que não é militante da causa é homofóbico. É isso? Se bobear, até alguns homossexuais devem estar incluídos nesse bolo.

Eu não só NÃO sou a favor do beijo gay, como não sou a favor de várias ceninhas de sexo entre heterossexuais totalmente dispensáveis à trama e inadequadas para uma TV aberta numa novela das nove. Além do mais, não vejo de que forma um beijo gay poderia reduzir o preconceito. Se for para mostrar que os gays são iguais a qualquer outra pessoa, será necessário mostrar que eles têm a mesma capacidade de amar e respeitar, mas também têm a mesma capacidade de odiar, matar, desrespeitar e ter preconceitos. Gays e héteros são diferentes em alguns aspectos, mas somos todos humanos. No melhor e no pior sentido. 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...