10 de fevereiro de 2011

Um lugar onde posso ser quem eu fui


Saubara sempre foi uma daquelas coisas que somos obrigados a fazer quando ainda não temos o direito de exercer nosso livre arbítrio. Mesmo reclamando, sempre curtia as viagens. Assim são as crianças, conseguem tirar sempre o melhor das situações. Meus sentidos estavam sempre aguçados. Sentia tão profundamente que criei uma espécie de "memória sensorial". Da mesma forma que a minha memória guarda acontecimentos, assim também guarda sensações.

Esse ano, voltei lá mais uma vez e tive o prazer de sentir tudo de novo. Aquela imensidão de areia, aquela brisa fazendo um barulhinho gostoso no ouvido, a sensação de paz, de estar em harmonia com aquilo tudo... e liberdade, me senti livre como uma menina de 10 anos. Pode-se dizer que eu experimentei várias vezes e de uma só vez aquele minuto, talvez segundo de felicidade plena, de gozo da vida. Aquele momento em que é necessária muita atenção, concentração e entrega, caso contrário, ele passa e você acaba não vivendo o que de fato viveu. O interessante é que senti da mesma forma, embora eu já não seja a mesma. Foi como comer um quitute da vovó e, mesmo depois de anos, sentir exatamente o mesmo sabor, como se o paladar não tivesse mudado.

Além de tudo, havia as crianças. A cada sorriso, a cada gesto de euforia, eu imaginava se elas estavam compartilhando daquele mesmo sentimento, como se isso fosse possível.

Pretendo viajar muito nessa vida, Paris e Nova Iorque estão ansiosas para me ver. Tenho certeza que cada lugar trará contribuições para a minha memória sensorial, mas esse poder de parar o tempo só para me agradar, só a Saubara.

5 comentários:

  1. Viajar ô coisa boa de ser fazer! Nossa, Paris, Nova Iorque e Londres também me aguardam ansiosamente. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei emocionada, filha. Ainda lembro, apesar de não possuir uma memória eficiente(hahahaha), a alegria estampada no seu rostinho, o brilho nos seus olhos ao ver aquela marzão véio, o mangue, espaço para correr... liberdade. Q saudade!
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Que lindo texto! Nossa eu já fui muito a Saubara. Quando criança morava em Feira de Santana então nas férias íamos pra lá e pra Cabuçu (naquela época ainda dava pra frequentar). Mas no meu caso ficava ansiosa pra ir porque todos os meus amigos iam. Me divertia muito! Há anos não vou lá mas quando fecho os olhos e lembro de lá minha "memórias sensorial" também entra em ação.

    ResponderExcluir
  4. Aline,
    Ainda dá pra ir a Cabuçu, sim. Fui dessa vez tmb, levei as crianças, eles adoraram. :)

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...