12 de julho de 2010

30 anos sem o Poetinha

Há 30 anos, eu completava meu primeiro aniversário e morria Vinícius de Moraes.
Vinícius foi o meu primeiro poeta e, por isso, vou dedicar alguns posts a ele. Não vou necessariamente escrever sobre ele, mas vou deixar algumas coisinhas da sua obra que me marcaram. Para começar, o primeiro poema que li na vida. Lembro-me até hoje do cheiro do papel, da fonte e do tamanho da letra.

Teu Nome

Teu nome, Maria Lúcia
Tem qualquer coisa que afaga
Como uma lua macia
Brilhando à flor de uma vaga.
Parece um mar que marulha
De manso sobre uma praia
Tem o palor que irradia
A estrela quando desmaia.
É um doce nome de filha
É um belo nome de amada
Lembra um pedaço de ilha
Surgindo de madrugada.
Tem um cheirinho de murta
E é suave como a pelúcia
É acorde que nunca finda
É coisa por demais linda
Teu nome, Maria Lúcia...

2 comentários:

  1. É uma pena que ele se foi, até parece que o conheci pessoalmente, quando assisti o programa que fala de sua obra, senti saudades...é poderia estar por aí compondo canções belíssimas.
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Rafa,

    É fácil admirar um homem como Vinicius, muito mais quando sabemos que espécimes como ele rareiam a cada dia.


    Adorei o selo comentais, estou nessa campanha.

    P.S. descobri você no blog contra a racialização, parabéns pela admirável coragem de expor sua opinião sobre um tema tão arido, mas indispensável... um abraço...

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...